Uma pesquisa conduzida pelo Goldman Sachs descobriu que quase metade de seus clientes de family office deseja adicionar criptomoeda a seus portfólios, sinalizando que os ultra-ricos estão se tornando cada vez mais otimistas em relação aos ativos digitais.

A pesquisa consultou mais de 150 escritórios familiares em todo o mundo e descobriu que 15% já estão expostos a ativos criptográficos.

Outros 45% dos escritórios expressaram interesse em investir na classe de ativos como uma proteção contra "inflação mais alta, taxas baixas prolongadas e outros desenvolvimentos macroeconômicos após um ano de estímulo monetário e fiscal global sem precedentes".

No entanto, outros entrevistados citaram preocupações com relação à volatilidade e incerteza de longo prazo em torno do preço das criptomoedas como justificativa para sua aversão à classe de ativos.

Aproximadamente 67% das empresas pesquisadas administram mais de US $ 1 bilhão em ativos, dentre essas 22% com ativos sob gestão superiores a US $ 5 bilhões.

De acordo com o Goldman Sachs, a maioria dos clientes de family office da empresa expressou interesse no "ecossistema de ativos digitais", acrescentando que muitos clientes acreditam que a tecnologia de blockchain "terá tanto impacto quanto a Internet em termos de eficiência e perspectiva de produtividade. ”