A inflação americana dispara e surpreende analistas

Português Jun 15, 2022

Os dados de inflação oficiais nos Estados Unidos, reportados pelo governo nesta semana, apresentam um nível de 8,6%. Este é o crescimento mais rápido quando se considera o período de ano a ano em mais de 40 anos.

O número é assustador, considerando que economistas e analistas de mercado acreditavam que a inflação havia atingido o pico em março em 8,5% e começaria a cair em abril e maio.

No relatório de abril a inflação estava em 8,3%, mas os números de maio surpreenderam a expectativa dos especialistas para cima. O que indica que não somente não foi atingido o valor de pico ainda, como também continua a acelerar mais, de maneira descontrolada.

Quem mais acaba por sofrer são as família americana de classe média, que tem visto seu poder de compra ser dizimado. O custo da alimentação no lar disparou 11,9% nos últimos 12 meses. A gasolina subiu quase 50% no mesmo período.

Aluguéis subiram mais de 15% nacionalmente e o preço de venda dos imóveis subiram mais de 20%.

Para piorar a situação da classe média, os salários dos trabalhadores norte-americanos não foram capazes de acompanhar os níveis históricos de inflação. De fato, o salário médio por hora ajustado pela inflação dos trabalhadores americanos está negativo há mais de um ano.

Então por um lado temos o custo dos bens e serviços aumentando drasticamente, e por outro salários não sendo capazes de acompanhar o ritmo. Um cenário desastroso para milhões de famílias.

Sem a educação certa, os 45% mais pobres dos americanos ficam financeiramente prejudicados durante esses tempos de alta inflação. Eles não têm ativos para investir e vivem com 100% de suas economias em dólares americanos.

Tags

Morel Hernandes

Writer passionate about politics, economics, blockchain and crypto-currencies.