Todo mercado tem ciclos. Estes ciclos passam por altos e baixos e podem ser analisados de diversas perspectivas, sendo possivelmente a mais interessante a divisão binária ganância/medo.

Este indicador subjetivo ficou famoso quando Barão de Rothschild disse:

“Quando há sangue nas ruas, compre propriedades.”

Warren Buffet também afirmou algo semelhante:

“Eu vou te dizer como ficar rico. Feche as portas. Tenha medo quando os outros forem gananciosos. Seja ganancioso quando os outros estão com medo. ”

Howard Marks, o lendário investidor norte-americano, dedicou anos da sua vida à identificação desses ciclos. O trabalho de sua vida se consolidou em uma obra muito apreciada no mercado financeiro conhecida como: Dominando O Ciclo De Mercado.

Segundo Marks, quando os tempos estão bons, os investidores ficam otimistas e compram ativos financeiros. Como resultado:

  • Seu patrimônio líquido aumenta
  • Eles têm acesso a mais crédito
  • Eles se sentem bem com suas decisões anteriores
  • Eles têm dinheiro (ou crédito disponível) para comprar mais ativos financeiros
  • Eles compram mais ativos financeiros
  • Os ativos financeiros aumentam de preço para lidar com a maior demanda
  • Ativos financeiros de propriedade de investidores valorizam
  • O mesmo acontece com o patrimônio líquido dos investidores (portanto, acesso ao crédito)
  • Eles têm mais dinheiro para comprar mais ativos financeiros

O grande problema é quando as realizações começam. Durante toda a história bancos extremamente alavancados com alta exposição em derivativos faliam e geravam um efeito em cascata. Esse efeito, cada vez mais potente, poderiam gerar perdas sobre perdas atingindo danos inestimáveis não só sobre os próprios players participantes mas sobre toda a sociedade. Esse enorme risco, é chamado de risco sistêmico.

Foi sempre assim, e admito que até recentemente, pensei que sempre seria. Esta realidade não tão distante quase aconteceu mais cedo neste ano quando o Archegos, o family office de Bill Hwang, causou estragos em Wall Street quando apostas fortemente alavancadas que fez em uma pequena coleção de ações se desfizeram, gerando enormes perdas em meia dúzia de bancos que haviam emprestado pesadamente ao investidor.

Ainda que todo sistema financeiro funcione alternando entre períodos de ganância e outros de medo, não existe razão para que a ganância alheia respingue sobre a sociedade que não possuí a pele no jogo e que certamente não receberia os ganhos caso tais operações fossem bem sucedidas.

Na semana passada, o preço do Bitcoin despencou da casa dos 60 mil dólares para perto de 46 mil. Liquidando diversas posições alavancadas.

Para ser mais exato, foram liquidados $ 1.744.970.237 de liquidações de posições vendidas e compradas.

Especula-se que o motivo seja um possível aumento de impostos para ganhos de capitais sobre criptomoedas nos Estados Unidos. Independente das razões, o consenso entre traders é de que a liquidação das posições alavancadas são boas para o mercado e limpam o cenário para que tenhamos novas altas.

A grande diferença, no entanto, está no fato de que não houve resgates governamentais, não houve recuos, não houve processos, nem demorou meses para vermos os estragos. Os contratos foram liquidados instantaneamente, 24 horas por dia, 7 dias por semana. As criptomoedas usadas como colaterais trocaram de mão de maneira sútil. E o mercado continuou operando sem a necessidade de intervenções, cada player arcando com a consequência de sua respectiva decisão.