O Banco Central da China pediu aos bancos e instituições de pagamento chineses que parem de fornecer serviços financeiros à empresas de criptomoedas, incluindo a abertura de contas, transações e liquidações.

O Banco Central entrevistou os cinco principais bancos do país e solicitou que eles não participassem de nenhum tipo de negócios que envolva cripto.

O anúncio do Banco Central ocorre em meio aos esforços mais amplos da China para reprimir o setor cripto, especialmente os mineradores da região.

A China possui uma lista de províncias que inclui Xinjiang e Mongólia Interior, como lugares onde não se pode minerar bitcoins. Na semana passada, o governo adicionou Sichuan à lista, uma das províncias mais demandadas para tal atividade.

Metade do hashrate da rede Bitcoin foi desligado pela China, voltando a níveis de meados de 2020.

Alguns analistas argumentam que a repressão à mineração do Bitcoin é um erro geoestratégico para a China e uma chance para os EUA garantirem empregos, sua rede de energia e fortalecer sua posição na nova economia digital.