Banco de Israel faz testes com contratos inteligentes e CBDC com privacidade

Português Jun 28, 2022

Na semana passada, o Banco de Israel divulgou os resultados de um experimento que testou o uso de protocolo de privacidade do usuário e o uso de contratos inteligentes em pagamentos. Este foi o primeiro experimento tecnológico do banco central com uma CBDC.

A primeira etapa do experimento modelou a venda de um carro dentro de um sistema de dois níveis com um provedor de serviços de pagamento intermediário.O banco disse que o provedor de serviços completou as verificações de KYC/AML e forneceu os endereços blockchain necessários. Um NFT foi emitido para mostrar a propriedade do carro na ausência de uma autoridade de licenciamento para efetuar a transferência. Um contrato inteligente trocava o NFT do vendedor e o dinheiro do comprador, com o vendedor mantendo o direito de cancelar a transação se as condições, como o preço do carro, não fossem atendidas.

O experimento chamou a atenção para duas questões. A primeira foi a quantidade de dinheiro mantida em formato digital. Para evitar a desintermediação bancária foi sugerido um limite diário que poderia ser realizado via contratos inteligentes. A segunda questão dizia respeito ao contrato inteligente em si. Para reduzir as chances de uso indevido intencional ou não intencional de contratos inteligentes, foi sugerido que a capacidade de escrever contratos inteligentes no blockchain fosse limitada ao provedor de serviços de pagamento, mas a extensão da supervisão necessária nesse caso permaneceu indecisa.

Além de questões técnicas, observou-se que o nível de privacidade dos usuários de shekel digital será uma questão de política. O governo de Israel vem considerando a emissão de CBDC desde 2017 e realizou um teste piloto em 2021.

Tags

Morel Hernandes

Writer passionate about politics, economics, blockchain and crypto-currencies.