O governo local de Berlim aprovou há alguns meses uma proposta para congelar os aluguéis na cidade por cinco anos. A medida visa lidar com o recente boom nos preços de aluguel que preocupam os moradores da cidade.

Durante anos após a reunificação da Alemanha em 1990, Berlim atraiu artistas, músicos e estudantes por causa de sua moradia mais barata do que em outras cidades europeias. Somente na última década, cerca de 40.000 pessoas se mudaram para a capital alemã. Diante do aumento da demanda e das vendas de imóveis para grandes empresas de capital aberto, Berlim se tornou a cidade na Alemanha, onde os preços dos aluguéis subiram mais desde 2008. Em média, o aumento foi de 104%. Entre os residentes da capital alemã, 85% são inquilinos e muitos têm sentido no bolso.

Embora os aluguéis ainda sejam mais baratos do que em Londres ou Paris, Berlim tem taxas de desemprego e pobreza relativamente mais altas e um salário médio baixo, dificultando a localização de moradias populares. Espera-se que o congelamento entre em vigor em 1º de janeiro de 2020. Somente as propriedades construídas após a entrada em vigor da regra são excluídas da alteração. Os proprietários que violarem a lei podem receber uma multa de até 500.000 euros.