Uma pesquisa realizada pela Fidelity revelou que os investidores institucionais estão muito bem posicionados com ativos digitais, especialmente Bitcoin e Ethereum.

Seja a inovação tecnológica subjacente, a baixa correlação com outras classes de ativos ou apenas o potencial de crescimento do mercado, independente da razão quase 80% dos investidores institucionais nos EUA e na Europa estão olhando de forma mais atenta para as criptomoedas. Além disso, quase um terço dos investidores institucionais já possui ativos digitais em seus portfólios.

As descobertas foram reveladas hoje nos resultados de uma pesquisa da Fidelity Digital Assets feita com mais de 800 investidores institucionais, realizada entre novembro de 2019 e março de 2020, que incluiu consultores financeiros, pessoas com alto patrimônio líquido, gerentes de fundos de pensão e de hedge funds de criptomoedas.

Mais de um terço dos investidores entrevistados disseram que já possuem ativos digitais e quase dois terços disseram acreditar que havia um lugar para ativos digitais em seu portfólio. Dos que atualmente possuem ativos digitais, mais de um quarto possui posição em Bitcoin. Cerca de 11% dos entrevistados disseram possuir o Ethereum em seus portfólios e mais de 60% afirmaram que compram ativos digitais diretamente, em vez de usar um corretor de investimentos ou custodiante de terceiros.

Os investidores pesquisados ​​citaram algumas vantagens importantes dos ativos digitais em relação a outras participações que compõe seus portfólios, incluindo maior liquidez, baixo transporte, armazenamento e custos de transação e elementos únicos que geram lucratividade. No entanto, aspectos como extrema volatilidade dos preços e preocupações com a manipulação do mercado ainda prevaleciam entre quase metade dos pesquisados.

Isso mostra que os investidores institucionais estão mais confortáveis ​​do que nunca com a classe de ativos emergente e provavelmente continuarão comprando à medida que o mercado amadurecer.