Com a eleição de Macri em 2015, um de seus primeiros e mais simbólicos atos foi remover restrições de capital para a compra e venda de outras moedas, abrindo o país para os mercados globais.

Desta vez, em 1º de setembro, o presidente foi forçado a restabelecer o controle de capital depois que o medo dos peronistas reassumirem que o governo atingiu em cheio o mercado argentino, criando caos e uma enorme venda do Peso. Na tentativa de reduzir os danos na moeda local, o governo decidiu limitar a compra de dólares em US$ 10.000 por mês. Algumas restrições também foram impostas às empresas que prejudicando a capacidade de comprar dólares e pagar dividendos a investidores no exterior.