Em um momento de alta tensão entre os dois governos, a China poderia gradualmente vender 20% de seus títulos do Tesouro dos Estados Unidos como forma de se proteger das tensões com o governo de Donald Trump.

De acordo com o último balanço disponibilizado pelo Departamento do Tesouro dos EUA, a China detém cerca de US$ 1,07 trilhão em títulos, ocupando o segundo lugar como maior credor estrangeiro dos Estados Unidos, estando atrás apenas do Japão. Nos seis primeiros meses deste ano, o governo de Pequim já vendeu cerca de US$ 106 bilhões em títulos do Tesouro dos EUA.

Segundo o jornal estatal chinês Global Times "o país está preocupado com os potenciais riscos do alto endividamento dos EUA". Certamente não é um exageiro da parte do governo chinês, a divída dos EUA já estva alcançando nivéis impagáveis. Agora, gastos com a pandemia fizeram o déficit orçamentário americano disparar, o que levou a dívida pública dos EUA a níveis não vistos desde a Segunda Guerra Mundial.

Em síntese, a notícia não é nada boa para detentores de titulos públicos norte-americanos, visto que um sell-off resultaria em uma queda brusca tanto no preço dos títulos quanto no valor do dólar, além de trazer instabilidade para a atual moeda global.