Mais americanos, especialmente desbancarizados, estão aderindo às criptos

Português May 31, 2022

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, pessoas que fazem transações com criptomoedas são duas vezes mais propensas a não serem bancarizadas do que aquelas que não as usam.

O Fed descobriu que 13% dos americanos que usam criptomoedas para pagamentos não têm contas bancárias, 6% acima quando em comparação com o público que que não usa criptomoedas. Enquanto isso, 27% das pessoas que usam criptomoedas para pagamentos relatam que não têm cartão de crédito, contra 17% das pessoas que não possuem ou usam criptomoedas.

É a primeira vez que o órgão regulador bancário dos EUA inclui perguntas sobre criptomoedas ao seu painel de pesquisa de 11.000 pessoas em outubro e novembro.

Observando de um ponto de vista mais amplo, a pesquisa do Fed estima que 12% dos americanos detinham ou usaram ativos como Bitcoin e Ethereum no ano passado.

A pesquisa do Federal Reserv descobriu também que as pessoas que usam criptomoedas para pagamentos são muito menos propensas a ter economias de aposentadoria. Mas a taxa de poupança para a aposentadoria foi aproximadamente a mesma entre as pessoas que não usam criptomoedas, 27%, e as pessoas que a usam apenas como investimento, 29%.

Por último, mas não menos importante, também foi observado que as pessoas que usam criptoativos como Bitcoin e Ethereum como investimentos tendem a ser ricas. A pesquisa concluiu que 46% dos investidores em criptomoedas tinham renda anual de pelo menos US$ 100.000. Pessoas com renda inferior a US$ 50.000 representavam 29% dos investidores em criptomoedas.

Tags

Morel Hernandes

Writer passionate about politics, economics, blockchain and crypto-currencies.