Braintrust, uma "rede de talentos descentralizada" sem fins lucrativos que lançou seu token no blockchain Ethereum esta semana, se propõe a facilitar a vida de freelancers.

A rede da Braintrust funciona de maneira simples. Basicamente os freelancers se inscrevem e são examinados para garantir que os candidatos estejam no nível desejado pelas empresas.

O processo de verificação, no entanto, não é feito pela Braintrust. Em vez disso, ele distribui seu token BTRST para aqueles que o fazem. Além disso, os membros da comunidade que analisam as inscrições e indicam novos candidatos têm um incentivo para selecionar pessoas de qualidade, pois recebem recompensas simbólicas com cada fatura finalizada que esses membros recebem.

Isso resolve muitos problemas de uma vez. Em geral, plataformas de freelancers costumam cobrar até 20% de sua fatura de volta para a rede, obrigando os freelancers a cobrarem mais caro pelo mesmo serviço ao incluir o preço da plataforma. Além disso, as empresas pagam uma taxa de processamento de 3%; eles também podem pagar uma taxa mensal fixa e uma taxa de 10% para ter seu próprio gerente de conta.

Esses custos acabam afastando funcionários e empresas da plataforma, à medida que ambos procuram uma taxa sem intermediários. No Braintrust os usuários acabam também sendo proprietários, e portanto, possuem um incentivo para permanecer na plataforma já que são recompensados com os tokens do projeto.

Grandes investidores já entraram no projeto, investindo cerca de US $ 18 milhões em uma rodada de financiamento. A rede diz que está crescendo, e espera faturar US $ 31 milhões em volume este ano, até agora eles triplicaram o número de clientes, trabalhadores e o número de vagas de empregos.

A decentralização é um processo inevitável e justo, que recompensa todas as partes. Cada vez mais veremos este tipo de negócio surgindo e se desenvolvendo em conjunto com a ascensão das finanças descentralizadas.