Após receber diversas críticas por supostamente contribuir para o desmatamento ilegal da floresta amazônica, a JBS, uma empresa de processamento de carnes, passou a apostar no uso de tecnologia blockchain para reverter esse problema e melhorar sua imagem e confiança frente ao consumidor.

Segundo a Reuters, a JBS que planeja lançar um sistema de rastreabilidade baseado em blockchain para sua cadeia de abastecimento de carne para garantir que não compre gado de fazendas que são conhecidas por terem derrubado árvores ilegalmente.

A empresa monitorava anteriormente apenas o elo final da cadeia de abastecimento de carne, o que significa que qualquer uma das 50.000 fazendas no Brasil que fazem negócios com a JBS poderia ter recebido gado de fornecedores indiretos responsáveis pelo desmatamento ilegal.

“Atualmente, a empresa não monitora fornecedores indiretos e nenhuma empresa faz isso”, disse.  “Mas planejamos fechar essa lacuna usando tecnologia.” afirmou um porta-voz da empresa.

A JBS planeja começar a utilizar a nova tecnologia já no ano que vem, no estado brasileiro de Mato Grosso, que supostamente foi responsável por 31% do desmatamento na Amazônia nos últimos 20 anos.