Programado para acontecer a alguns meses, The Merge vai migrar sua estrutura de PoW para PoS, visando a evolução das atividades dentro da rede Ethereum.

O que é The Merge?

CapExplain Sep 2, 2022

O assunto do momento no mundo cripto é o próximo The Merge, cujo último teste acontece no dia 06 de setembro de 2022. Todos os usuários de Ethereum e seus produtos estão à espera das novidades sobre como ficam os investimentos nesse momento de transição importante.

Nessa ocasião, a cadeia Proof-of-Work (PoW) da Ethereum será migrada para a cadeia Proof-of-Stake (PoS) em transição conhecida como The Merge e deve primeiro ser ativada na Beacon Chain com a atualização Bellatrix. Depois disso, a cadeia de prova de trabalho (PoW) migrará para prova de participação (PoS) ao atingir um valor específico de Dificuldade Total.

O teste da Bellatrix está programada para a epoch 144.896 na Beacon Chain às 08:34:47 do dia 06/09/2022 (BRT).

Reunimos as principais informações sobre The Merge nesse artigo para que você possa entender tudo sobre a migração e sobre como ficam seus investimentos nesse sentido. Boa leitura!

Entenda melhor The Merge

Em dezembro de 2020, a Ethereum lançou a Beacon Chain, que operava como outras redes PoS. Os validadores executam um software que transforma os seus computadores em nós de rede blockchain.

The Merge, diferente das atualizações de rede anteriores, acontece de duas maneiras. Primeiro, os operadores de nó precisam atualizar seus clientes da camada de consenso (CL) e da camada de execução (EL) em conjunto, em vez de apenas um dos dois.

Segundo, a atualização é ativada em duas fases: a primeira, chamada Bellatrix, em uma época na Cadeia de Beacon, e a segunda, chamada Paris, ao atingir um valor de Dificuldade Total na camada de execução.

Gráfico resumindo o The Merge

Cronometragem

O Merge é um processo de duas etapas. O primeiro passo é uma atualização de rede, Bellatrix, que é a camada de consenso seguido pela transição da camada de execução de PoW para PoS; e a Paris, desencadeada por um limite de Dificuldade Total específico chamado de Dificuldade Total Terminal (TTD).

Paris, a parte da camada de execução da transição, será acionada pela Dificuldade Total do Terminal (TTD) de 58750000000000000000000, prevista entre 10 e 20 de setembro de 2022.

A data exata em que o TTD é atingido depende da taxa de hash de PoW.

Assim que a camada de execução atingir ou ultrapassar o TTD, o bloco subsequente será produzido por um validador Beacon Chain. A transição Merge estará completa quando a Beacon Chain finalizar este bloco.

Em condições normais de rede, isso acontecerá em cerca de 13 minutos (ou 2 epochs) após a produção do primeiro bloco pós-TTD.

Na sequência, uma nova tag de bloco JSON-RPC retorna o último bloco finalizado ou um erro, se não for criado o bloco pós-merge.

Essa tag pode ser usada por aplicativos para verificar se a mesclagem foi concluída com sucesso.

Da mesma forma, os smart contracts podem consultar o opcode DIFFICULTY (0x44), que será renomeado pós-merge, indicando se a fusão aconteceu.

É recomendado que os provedores de infraestrutura monitorem a estabilidade geral da rede para além do status de finalização.

O que a mudança de PoW para PoS significa?

Essa mudança impacta diretamente a forma como a mineração é feita. Em PoW, os mineradores precisam concorrer uns com os outros numa “corrida” pela verificação de dados, cuja recompensa é o ETH. Esse processo requer o uso de equipamentos super potentes que gastam muita energia.

O PoS funciona de forma diferente. No lugar de máquinas de mineração altamente sofisticadas, o algoritmo pede um armazenamento de, no mínimo 32 ETH, na rede para credenciar o computador para realizar a validação das transações. Nesse modelo, o minerador também recebe unidades de ETH como pagamento.

Por que o Merge é importante?

Entre os argumentos mais fortes está a questão ambiental. Além disso, há economia interna para o projeto, com a introdução do sistema de staking.

Como o staking altera o Ethereum?

Nesse contexto, o staking incentiva que a criptomoeda ETH fique “trancada” no software de validação, criando uma solução oficial de renda passiva.

Em troca do ETH bloqueado na conta, o minerador aumenta suas chances de verificar transações a cada 12 segundos. Na teoria, pode aumentar suas recompensas a longo prazo. Uma espécie de politica de rendimentos do ETH, onde o mínimo são os 32 ETH comentados acima.

O investidor vai ser impactado de que forma?

Investidores de Ethereum não precisam se preocupar. Essa atualização é feita de forma estrutural entre as plataformas responsáveis pelas transações como exchanges, carteiras e aplicativos.

o único cuidado que os especialistas recomendam para os investidores é evitar as transferências no picos da atualização – por volta das 8h30 do dia 6 de setembro, e a partir de 21h do dia 14 (horários de Brasília).

A medida de precaução vale tanto para o ETH quanto para moedas que rodam na rede, como LINK, UNI, entre outras no padrão ERC-20.

Fonte: https://blog.ethereum.org/

Tags

Joanna Medeiros

Jornalista, produtora de conteúdo digital, MBA em Marketing e Comunicação. Acompanhando o mercado financeiro mudar através dos "olhos" da Capitual.