Polícia chinesa prende grupo por lavagem de bilhões em criptomoedas

Português Dec 29, 2022

Autoridades chinesas de Tonglio anunciaram a prisão de 63 pessoas envolvidas em um esquema maciço de lavagem de dinheiro que arrecadou mais de US$ 1,7 bilhão em criptomoedas usando a stablecoin Tether.

De acordo com o informe da polícia, a investigação começou houve um aumento significativo nos depósitos de um banco local, que totalizaram mais de 10 milhões de yuans, acionando os protocolos de combate à lavagem de dinheiro do banco. Em uma série de operações subsequentes, um total de 130 milhões de yuans chineses, cerca de US$ 18,6 milhões, foram confiscados pelas autoridades chinesas.

A polícia afirmou que os criminosos organizaram o grupo no Telegram, recrutando membros que abririam contas em exchanges de criptomoedas. Essas exchanges provavelmente estavam no exterior devido à dura repressão da China às criptomoedas. A quadrilha recompensaria os membros com uma comissão baseada em quanto eles poderiam lavar.

A região da Mongólia, onde se encontra Tonglio, fechou as fazendas de mineração de Bitcoin que operavam na área devido ao seu baixo custo de energia em abril de 2021. Após a repressão, muitos mineradores de Bitcoin se mudaram para o vizinho Cazaquistão e outros para os Estados Unidos.

Mesmo assim, as operações criptográficas clandestinas continuam na China usando servidores proxy e redes privadas virtuais (VPNs). Para entusiastas do Bitcoin, esse fato mostra a antifragilidade da criptomoeda e sua capacidade de resistir à censura.

Tags

Morel Hernandes

Writer passionate about politics, economics, blockchain and crypto-currencies.