Evo Morales renunciou neste domingo à presidência da Bolívia. A tensão política na país cresceu descontroladamente depois da eleição de 20 de outubro por conta da suspeita de fraude eleitoral.

O resultado oficial apontou vitória de Morales, com cerca de 47% dos votos e uma margem superior a dez pontos percentuais em relação ao segundo colocado, resultando em reeleição já no primeiro turno. Contudo, o resultado foi contestado pela oposição. Na época, Morales afirmou que seu governo era vítima de um golpe. Pouco depois, a OEA passou a fazer uma auditoria e confirmou que as eleições de 20 de outubro haviam sido fraudadas.