Quase 7% dos espanhóis investiram em criptomoedas

Português Aug 8, 2022

A Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV) estima que pelo menos 6,8% da população espanhola investiu em ativos digitais. São investidores com alto nível de salário e escolaridade.

Segundo o relatório, os resultados da pesquisa foram realizados com 1.500 cidadãos e residentes da Espanha. Cerca de 7% afirmaram ter comprado criptoativos, embora a proporção varie de acordo com a faixa etária.

Entre os diferentes grupos, destacam-se os jovens, que estiveram muito mais dispostos a investir em criptomoedas. Cerca de 36% destes 7% correspondem a sujeitos com idades compreendidas entre os 35 e os 44 anos. Na faixa definida entre 55 e 70 anos, a proporção é de 7%.

O nível educacional também parece ser um fator relevante. Pouco mais de 43% dos entrevistados que reconhecem ter investido em criptoativos possuem algum diploma universitário.

O poder de compra também desempenha um papel. Como mostram os dados de outros países, a maioria dos titulares espanhóis recebe bons salários e tem empregos estáveis.

O salário é uma variável que faz a diferença. 41% destes investidores usufruem de salários superiores a 3.000 euros, contra 10,7% cujos salários não chegam a 1.000 euros.

O atual marco regulatório na Espanha considera os ativos digitais como uma forma legal de investimento. Em relação à pressão fiscal, os benefícios assim obtidos são cobrados com uma taxa de imposto entre 19% e 23%.

Na Espanha, o cenário não é totalmente pró-cripto. Ainda que as criptomoedas sejam legais no país, as autoridades espanholas não tomaram medidas para estimular a adoção desses ativos.

Tags

Morel Hernandes

Writer passionate about politics, economics, blockchain and crypto-currencies.