Em um retorno dramático, Cristina Fernández de Kirchner, que presidiu o país de 2007 a 2015, foi votada de volta ao cargo de vice-presidente. A vitória põe fim às políticas econômicas pró-mercado do governo Macri.

Fernández, um peronista moderado que se comprometeu a respeitar o empréstimo de US $ 57 bilhões do FMI, obteve 47,79% dos votos, em comparação com os 40,71% de Macri. O novo presidente também promete melhorar os salários e benefícios para trabalhadores e pensionistas.