Os riscos provocados pela pandemia de covid-19 na economia da zona do euro aumentaram e devem continuar em 2021. O Banco Central Europeu (BCE), portanto, está considerando realizar novos ajustes em suas medidas de política monetária.

"Embora todas as opções estejam sobre a mesa, o programa de compra de emergência pandêmica e os operações direcionadas de refinanciamento de longo prazo provaram sua eficácia no ambiente atual e podem ser ajustados dinamicamente para reagir à evolução da pandemia. Portanto, é provável que continuem sendo as principais ferramentas de ajuste de nossa política monetária".

A presidente do BCE também pediu cautela com o otimismo sobre os avanços em vacinas contra a covid-19. Esta semana, a Pfizer e a BioNTech anunciaram que sua vacina mostrou eficácia de mais de 90% em prevenir a covid-19, segundo estudos preliminares.

"Embora as últimas notícias sobre uma vacina pareçam animadoras, ainda podemos enfrentar ciclos recorrentes de propagação viral acelerada e restrições cada vez mais rígidas até que a imunidade generalizada seja alcançada", disse.

Lagarde destacou que que os bloqueios devido à covid-19 geraram uma recessão incomum na eurozona, afetando mais o setor de serviços do que a indústria, e que a recuperação de crises em serviços é mais lenta e gera maior impacto em empregos.

"É claro que os riscos de queda para a economia aumentaram. O impacto da pandemia provavelmente continuará pesando sobre a atividade econômica até 2021. [...] Além disso, a fraqueza da demanda e a retração econômica estão pesando sobre a inflação, que deverá permanecer em território negativo por mais tempo do que se pensava anteriormente", afirmou. "A evolução da taxa de câmbio pode ter um impacto negativo na trajetória da inflação".

Bitcoin

Desde o início do ano, o Bitcoin teve uma bela ascensão de 112%, sem esquecer que, devido à turbulência do coronavirus, em março estava custando perto de 4 mil dólares. Agora, independente das confusões eleitorais norte-americanas e do alto risco da economia europeia a moeda está sendo negociada acima dos 15.800 dólares por unidade, consolidando-se mais uma vez como um refugio ante as incertezas.