Os utility tokens são bastante versáteis, por isso, são vistos como muito promissores no mercado financeiro.

Você conhece os Utility Tokens?

CapExplain Dec 28, 2022

Muito se fala (e se lê) sobre os utility tokens, mas você sabe o que são? Utility tokens ou tokens utilitários (ou de utilidade) são ativos descentralizados, que permitem o acesso a determinados produtos ou aplicações.

Os utility tokens são ativos digitais que permitem acesso a um serviço ou produto. São negociados de forma descentralizada e com emissores próprios, ou seja, não precisam “rodar” dentro do sistema de mineração das moedas digitais comuns.

A negociação de tokens utilitários pode ser feita diretamente entre os usuários ou através de exchanges. O valor deles é definido pelo mercado no qual estiver inserido. Além disso, os interessados podem também encontrar um utility token através de ofertas em lojas, o que pode ser entendido como uma tendência de mercado, especialmente no varejo.

Veja aqui como os utility tokens funcionam e como eles se relacionam com outros ativos. Boa leitura.

Nesse texto você vai encontrar:

1. Fan tokens são alguns dos utility tokens mais conhecidos
2. Outros exemplos de utility tokens
3. O que são security tokens?

Fan tokens são alguns dos utility tokens mais conhecidos

O token Chiliz, chamado de fan token, está relacionado, de forma íntima, a times de futebol (mas pode ser desenvolvido também para outras áreas esportivas. Contudo, o mercado do futebol é massivo no mundo todo e os desenvolvedores enxergam nele um mercado escalonável).

Um pouco diferente de como as criptomoedas são comercializadas (compra e venda visando lucro), os fan tokens são mais uma “moeda de troca”. Ou seja, eles não são utilizados como meio de pagamento ou negociação, pois sua função é engajar o público-alvo.

No caso dos times de futebol, os proprietários de fan tokens têm a possibilidade de participar ativamente de decisões relacionadas ao clube, opinar na escolha do design de produtos e uniformes, participar de concursos de prêmios e enquetes, e muito mais. É a evolução do programa de sócio torcedor.

Os fan tokens são só um dos muitos exemplos dos utility tokens, já que eles são extremamente versáteis, já que são moedas com aplicações específicas e não ativos de especulação.

Copa do Mundo aumenta a visibilidade dos Fan Tokens
O campeonato mundial de futebol promovido pela Fifa aumentou a procura pelos Fan Tokens. Acesse e entenda como investir nessa classe de ativos.

Outros exemplos de utility tokens

Outro exemplo de utility token é o BRZ, uma stablecoin que é pareada com o real brasileiro (inclusive, bom lembrar que a BRZ é a principal stablecoin que não é pareada ao dólar no mundo), que dá acesso a exchanges internacionais aos brasileiros.

Diversos outros tipos de utility tokens estão disponíveis no mercado, como o Ether e o Dash.

É importante ressaltar que um utility token não representa um valor mobiliário ou de ativo financeiro. Isso quer dizer que não estão sob o guarda-chuva da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ou qualquer outra instituição similar.

O utility token pode ser emitido também por uma empresa que desenvolve games, por exemplo, como forma de pagamento por serviços ou produtos que ela mesma desenvolve.

Deu para perceber que o uso de utility tokens é bastante promissor, certo? Isso porque esse tipo de ativo digital não está restrito a um tipo de investimento ou funcionalidade.

O que são security tokens?

Além dos utility tokens o mercado também dispõe dos security tokens. São ativos digitais com valores derivados de ativos externos.

Em poucas palavras, os security tokens podem ser ativos de investimento ou especulação. Assim, podem interessar investidores que esperam obter lucros através de movimentos de valorização desses ativos.

Os detentores desses tokens recebem dividendos dos seus investimentos a partir de tokens adicionais.

Os security tokens oferecem também uma grande variedade de aplicações, se o emissor estiver em acordo com os requisitos da regulação federal vigente.

A exemplo dos tokens de utilidade, os security tokens são emitidos imediatamente com a criação de smart contracts.

Em termos gerais, os security tokens democratizam investimentos. Tome como exemplo um fundo imobiliário tradicional. Ele não poderia ser comercializado para alguém em outro país no sistema financeiro tradicional. Com os security tokens isso é possível.

Os security tokens podem ser ativos de investimento ou especulação. Assim, podem interessar investidores que esperam obter lucros através de movimentos de valorização desses ativos.

Assim, é possível afirmar que os security tokens são um passo à frente na evolução financeira, pois buscam integrar o DeFi com o sistema financeiro tradicional.

Além disso, podemos destacar que a capacidade de oferecer tokens representando digitalmente ações de uma empresa é visto com um produto bastante promissor dentro do universo de investimentos  usando security tokens.

Gostou desse conteúdo? Clique aqui para conhecer mais sobre os ativos digitais que o Capitual oferece para você!


O Conteúdo deste Blog está disponível para fins meramente informativos e educacionais. Os artigos postados não constituem e não devem ser encarados, em nenhuma hipótese, como qualquer aconselhamento ou recomendação de investimento, tampouco como garantia de resultados ou rentabilidades em investimentos de qualquer natureza.

Capitual: o banco digital multimoedas realmente inovador
Serviços bancários completos 100% digitais e operações diversas com criptomoedas. Tenha o controle total de suas finanças com o Capitual.

Tags

Joanna Medeiros

Jornalista, produtora de conteúdo digital, MBA em Marketing e Comunicação. Acompanhando o mercado financeiro mudar através dos "olhos" da Capitual.