Para muitos entusiastas do Bitcoin, o Bloco de Gênesis marca o início do movimento cripto. Você concorda?

Para muitos entusiastas do Bitcoin, o Bloco de Gênesis marca o início do movimento cripto. Você concorda?

Você sabe o que é o Bloco de Gênese?

CapExplain Jan 4, 2023

Há 14 anos, no dia 03 de janeiro de 2009, Satoshi Nakamoto minerou o primeiro bloco de bitcoin da história: o Bloco de Gênese. A verdadeira identidade (ou identidades, já que especula-se que possa se tratar também de um grupo de desenvolvedores) do criador da criptomoeda ainda é um mistério que alimenta o imaginário dos usuários, rendendo questionamentos e mitos em volta do tema.

Mesmo com todo esse clima meio mágico em torno da história do começo do Bitcoin, o fato é que o Bloco Gênesis (ou de Gênese) é o marco 0 do começo da blockchain Bitcoin, e desde Bitcoin SV (BSV) é a única blockchain fiel ao protocolo Bitcoin original.

De lá para cá, o mercado de criptomoedas e o Bitcoin ficou muito popular. A tecnologia blockchain viabilizou a criação de muitas outras moedas virtuais, ampliando cada vez mais as opções para os investidores.

Se interessou em saber mais sobre os “primórdios” do Bitcoin? Então, continue sua leitura!

Nesse texto você vai ler:

1. Bloco de Gênese do Bitcoin: entenda
2. Qual é a função do Bloco de Gênese (ou Gênesis)?
3. Bitcoin, uma revolução para o mercado econômico
4. Fatos curiosos sobre o Bloco de Gênese do Bitcoin

Bloco de Gênese do Bitcoin: entenda

Também conhecido como “Bitcoin Genesis Block” ou “Block # 0”, não foi “minerado” como os blocos Bitcoin que o sucederam. Foi construído por Satoshi Nakamoto como um ponto de referência codificado no software do protocolo a partir de um valor de chave calculado externamente.

Já o “Bitcoin Block # 1”, foi extraído seis dias após, através de um algoritmo de prova de trabalho (PoW - Proof-of-Work) depois que Satoshi liberou o software ao público Muitos acreditam que esse seria o “verdadeiro começo” do Bitcoin como é conhecido por nós hoje.

O Bloco de Gênese é diferente dos outros blocos por não ter um antecessor. Dessa forma, alguns parâmetros foram modificados para criá-lo.

Um fato curioso sobre o Bloco de Gênese do Bitcoin é que na estrutura do bloco está registrada uma manchete do jornal 'The Times’ (jornal britânico de grande importância e circulação) de 03 de janeiro de 2009.

Isso quer dizer que existe uma prova concreta para a data de criação do bloco. Essa manchete confirma o ideal de Nakamoto de startar um sistema financeiro colaborativo em que bancos e outras instituições não seriam necessários.

O Jornal "The Times" se tornou uma prova sobre a data do Bloco Gênesis

Qual é a função do Bloco de Gênese (ou Gênesis)?

A função do Bloco de Gênese é, basicamente, ser um bloco de "fonte". Ou seja, independente da cadeia selecionada, sempre será possível encontrar um bloco de gênese próprio para cada criptomoeda, como uma raiz.

Um bloco de gênese garante ainda uma comunicação entre dois nós da rede. A justificativa é que dois nós só podem ser pareados se compartilharem o mesmo bloco de gênese ou seriam incompatíveis.

Entretanto, é importante lembrar que cada nó tem um bloco inicial próprio que dá suporte a uma rede complexa onde um bloco de gênese de maior dificuldade não pode ser substituído por um de menor dificuldade.

Para ficar mais fácil de visualizar esse sistema, pense em uma pirâmide, acima do vértice, estaria o bloco de gênese que dá origem aos blocos. Independente da quantidade de links, todos estarão ancorados ao bloco original.

Bitcoin, uma revolução para o mercado econômico

O mês de janeiro sempre é um mês importante para o mercado cripto, em especial, do Bitcoin. São 14 anos da evolução dessa moeda virtual que, por si só, carrega a proposta da renovação.

Uma forma de comparar é que o Bloco de Gênese do Bitcoin é como o "Big Bang" do mundo cripto.

Atualmente, o trabalho dos desenvolvedores gira em torno da preservação dos blocos de gênese para evitar o risco de atraso nas transações por conta da quantidade de gravação nas blockchains. Além disso, também existe a preocupação de criar novos blocos de gênese para que o ecossistema permaneça saudável.

O Bloco Gênesis do Bitcoin é considerado o "Big Bang" da economia cripto

Fatos curiosos sobre o Bloco de Gênese do Bitcoin

Além da capa do "The Times", escondem-se dois outros fatos interessantes sobre o Bloco de Gênese. O primeiro é que, da criação do Bloco de Bênesis até o lançamento efetivamente do software, passaram-se seis dias, como mostramos acima ao mencionarmos o “Bitcoin Block # 1”.

Diferentes teorias sobre isso circulam no mercado, então, somente Nakamoto poderia nos esclarecer isso. Entretanto, a mais aceita é que a criação correta do bloco foi checada e verificada.

O segundo aspecto curioso é que o bloco zero adicionou os primeiros 50 bitcoins da rede. Esses bitcoins nunca foram movidos e nunca podem ser movidos. O fato de não poderem ser gastos é devido a uma peculiaridade de criar o código. Não se sabe se foi acidental ou intencional. Este mistério só poderia ser resolvido por Satoshi Nakamoto.

O Bloco de Gênese do Bitcoin gerou o precedente de que as pessoas podem "ser seus próprios bancos" e o projeto segue no propósito de que a economia global alcance um nível de independência tal que as instituições convencionais sejam secundárias.

Aqui no Capitual, nós já estamos nesse processo, oferecendo aos nossos usuários toda a segurança e liberdade para investirem como e quando quiserem.

Para nós, o futuro já começou. Venha fazer parte da revolução da economia, conheça a CapConta. Saiba mais clicando aqui.


O Conteúdo deste Blog está disponível para fins meramente informativos e educacionais. Os artigos postados não constituem e não devem ser encarados, em nenhuma hipótese, como qualquer aconselhamento ou recomendação de investimento, tampouco como garantia de resultados ou rentabilidades em investimentos de qualquer natureza.

Capitual: o banco digital multimoedas realmente inovador
Serviços bancários completos 100% digitais e operações diversas com criptomoedas. Tenha o controle total de suas finanças com o Capitual.

Tags

Joanna Medeiros

Jornalista, produtora de conteúdo digital, MBA em Marketing e Comunicação. Acompanhando o mercado financeiro mudar através dos "olhos" da Capitual.